Eu sempre fui uma pessoa de bom gosto, mas nunca tinha me atentado muito aos detalhes de decoração, por exemplo. Achava que estava tudo bem em branco ou cinza por todos os lados e que decoração era algo voltado mais para o universo feminino (aqui tenho medo de soar meio sexista, mas é o que eu realmente pensava sobre esse assunto.

 

Mas sabem que, navegando por essa boa e velha internet de sempre, me deparei com um post sobre decoração de quarto masculino, do meu amigo Ricardinho e percebi que dá pra fazer muita coisa legal com papel de parede sem soar afeminado demais, não é verdade?

A decoração cinza é uma cor que eu gosto e aparentemente, encontra-se em alta, já que a cor é neutra e capaz de dar toque moderno ao projeto. É possível apostar em um Papel de parede de listras para uma das paredes com a combinação de dois tons de cinza, enquanto o restante do ambiente segue tonalidade da mesma cartela de cores, apenas variando os tons.

 

Também achei bastante interessante o quarto masculino que pode seguir uma tendência decorativa baseada em tons de bege, e para modernizarmos um pouco a parede, pode-se investir no papel de parede com detalhes metalizados.

 

O azul também remete bem ao ambiente masculino. Eu confesso que é uma cor que adoro, muito tranquila e versátil. Aqui vai uma ideia de combinação clássica e ideal para homens solteiros e que vivem sozinhos – tipo que quando a Cris não aparece por aqui – : A decoração sendo baseada em papel de parede com listras e com uma mistura de móveis de madeira.

 

Já percebemos como o papel de parede pode expressar a personalidade de quem vive naquele quarto também, então para homens mais modernos, é possível utilizar uma estampa mais geométrica na parede em preto e branco. Para continuar decorando o ambiente, a mesma parede revestida com o papel ainda ganha um espelho redondo que fica acima da cabeceira, isso faz com que aumente o destaque para esta superfície decorada.

 

Confesso que um assunto que poderia muito bem soar meio esquisito para mim, foi super interessante e depois de acompanhar esse post do Ricardinho, pretendo estudar mais sobre e de repente até aplicar papel de parede aqui no meu quarto também, viu?! Se vocês também forem utilizar essas sugestões, me contem depois!

 

O assunto hoje é sobre pais separados. Nem sempre as coisas saem tudo como o planejado, vocês concordam? Um exemplo é quando um adolescente esperam ansiosamente seus 18 anos pra ter sua “independência”, mas sabemos que não é bem assim.

Dessa maneira, também funcionam os relacionamentos. Quando o termo é casamento um vínculo é estabelecido entre duas pessoas, mediante o conhecimento cultural ou religioso, porém infelizmente nem sempre isso acontece.

Pode ocorrer também de um namoro acabar resultando em um filho, mas por falta de imaturidade e amor os pais se separam e a criança acaba crescendo com pais separados.

Hoje em dia, infelizmente é comum ver pais separados, consequentemente seus filhos acabam sofrendo com esse ocorrido, para que isso seja aceito de uma melhor maneira é preciso estabelecer uma conversa sincera e sem mentiras, para que o adolescente entenda o que está acontecendo e não se magoe futuramente com ambos os lados.

Quando o casal se separa, ainda com seus filhos pequenos, é de muita importância à conversa também, se ele já tiver uma idade boa para assuntos mais esclarecidos, explique tudo. Afinal, os filhos tem o direito de saber o motivo de ter os pais separados.

É comum vermos pais separados que simplesmente esquecem seus filhos, não ligam mais, não colaboram com a assistência básica que a criança precisa, isso não só para os homens, muitas mães também fazem o mesmo.

O ideal é sempre lembrar que o casamento, o namoro, um momento vivido entre dois pode acabar, porém o filho é um laço bem maior, e não pode ser desfeito. Então não deixe seu filho de lado só porque seu relacionamento chegou ao fim, sempre que possível faça visitas, planeje saídas, mostre que se importa, pois ele pode não demonstrar mas um pai ou uma mãe faz muita falta.

Tudo que citei aqui foi de experiência própria, fui abandonado aos meus 4 anos, nunca convivi com o meu pai de sangue, mas com certeza eu tenho o melhor pai do mundo!

Minha mãe o conheceu quando eu tinha 5 anos, e ele supriu muito tudo o que eu precisava se falando de carinho, amor, companheirismo e afeto, foi mais do que um pai e me ajudou a ser quem eu sou hoje.

Você que tem uma pessoa que com quem sua mãe ou seu pai escolheu viver, saiba que eles podem ser como pais, valorizem e sinta quem te ama e cuida de você! O fato de você ter pais separados não pode te atrapalhar, use isso como base e aproveite sempre o melhor de ambas às partes.

Então essas foram às dicas de hoje, espero que vocês tenham gostado e aprendido um pouco mais sobre o assunto. Até a próxima pessoal!